Spread the love!

5 Exemplos Criativos do Mundo Real que mostram o que é Data-Driven Marketing

Você está interessado em encontrar maneiras mais eficazes de usar os dados que sua empresa coleta?

Hoje, 64% dos executivos de marketing concordam que o data-driven marketing é crucial para o sucesso da economia global. Ainda assim, poucas empresas são capazes de aproveitar totalmente os dados que coletam e usar esses dados em campanhas criativas e eficazes.

Data-driven marketing tem sido um tema importante na última década. À medida que big data continua a crescer rapidamente, empresas têm mais dados a sua disposição.

Estratégias baseadas em dados que permitem perfil progressivo e uma segmentação de anúncios mais eficaz são essenciais para o crescimento sustentável do marketing no cenário moderno. Isso pode ser usado para acompanhar e otimizar suas campanhas, avaliar a integridade geral de sua marca e informar novos conteúdos de campanhas e materiais de marketing que se conectam com seu público.

O grande desafio para a maioria das empresas é encontrar maneiras eficazes de usar os dados que eles coletam para reforçar suas campanhas de marketing. Muitas vezes há uma desconexão entre coletar os dados e criar formas criativas de usar esses dados.

Neste artigo, abordaremos alguns exemplos data-driven marketing por dados e exploraremos como essas campanhas funcionaram em benefício das marcas que as lançaram.

ÍNDICE

Exemplo # 1: GreenPal usa dados demográficos no planejamento de campanhas

Este exemplo serve para mostrar que nem todo uso de dados tem que vir de dados coletados internamente. Suponhamos que você gostaria de vender um novo produto ao seu segmento de clientes mais valioso. Você provavelmente terá alguns dados desse segmento que foram coletados internamente, mas sempre haverá alguns detalhes ausentes. Você pode não entender completamente os hábitos de gasto desse segmento ou os padrões climáticos locais em sua região.

Este é exatamente o tipo de problema que GreenPal, um provedor de serviços de jardinagem, encontrou quando comercializou um novo produto para seus clientes. Depois de executar uma campanha bem-sucedida do Google AdWords na área metropolitana de Nashville, a empresa procurou otimizar e melhorar sua taxa de conversão adicionando mais informações contextuais.

Usando dados disponíveis publicamente, eles descobriram que os proprietários de casas em East Nashville, que era uma comunidade de classe média relativamente nova e iniciante, eram mais sensíveis aos preços do que outros proprietários na área. Eles segmentaram códigos postais para esses bairros e publicaram anúncios específicos que os retratavam como a “solução em servicos de jardinagens mais barata em Nashville” e obtiveram um aumento de mais de 200% na taxa de cliques e um aumento de 30% nas taxas de conversão na página.

greenpal-adwords-account-results

Existem algumas fontes realmente excelentes de dados disponíveis publicamente online. O Data.gov oferece mais de 300.000 conjuntos de dados fornecidos pelo governo que podem ser úteis em campanhas de marketing. Da mesma forma, a União Europeia também publica muitos de seus dados disponíveis. Estados, municípios e cidades também são conhecidos pelos dados dos editores, que podem ser mais relevantes para campanhas de marketing menores, uma vez que se concentram em comunidades específicas.

Exemplo # 2: DirecTV faz parceria com o USPS para segmentar clientes em potencial que se mudaram recentemente

Outro ótimo exemplo de data-driven market vem da DirecTV. Enquanto procurava novas maneiras de se conectar com consumidores que não estavam inscritos em um plano de televisão por assinatura, a empresa se concentrou em um mercado específico, o de pessoas que haviam se mudado recentemente para um novo endereço e  portanto ainda não haviam contratado tal serviço.

 

new-mowers-behavior-statistics

Fonte: Monetate

Ao estabelecer uma parceria com a USPS, o serviço de correios estadunidense, a empresa conseguiu atingir diretamente os consumidores que haviam recentemente solicitado uma mudança de endereço. Usando esses dados, eles enviaram anúncios que levaram os consumidores a uma página inicial personalizada que falava diretamente ao segmento de pessoas que se mudaram recentemente. Suas campanhas foram entregues através de mala direta, PPC e e-mail.

Isso serve como um excelente exemplo do uso de dados de terceiros para executar campanhas eficazes de geração de leads. Não há fontes com dados de maior qualidade sobre mudança de endereços do que o USPS e o acesso a esses dados por meio de uma parceria deu à DirecTV acesso ao seu segmento de clientes mais importante. E você, conhece alguma organização que possa coletar dados importantes sobre seus clientes em potencial?

Example #3: OKCupid usa dados de seus usuários para criar conteúdos intrigantes

Um dos maiores sites de namoro do mundo, o OKCupid tem uma grande quantidade de informações demográficas de seus usuários. Eles também não são tímidos. A empresa publica regularmente dados de usuários perspicazes em seu blog, atraindo muita atenção. A atração por dados e dados relacionados a relacionamentos também não é apenas para os usuários. A empresa também ganhou muita atenção com os não usuários.

Eles fornecem um ótimo exemplo do uso de seus dados internos para criar conteúdo que seu público-alvo achará interessante. Em um post recente, eles examinaram como o uso de um flash ao tirar fotos parecia fazer com que os usuários parecessem mais velhos, com base em seus dados internos:

okcupid-data-driven-content-marketing

É fácil entender por que esse tipo de conteúdo não atrai apenas os próprios usuários, mas para qualquer pessoa que use mídias sociais. Encontrar oportunidades interessantes para alavancar seus dados internos para criar conteúdo é um ótimo exemplo de pensar fora da caixa quando se trata data-driven marketing.

Exemplo # 4: GrubHub correlaciona dados alimentares com posicionamento políticos

GrubHub é um aplicativo de pedidos de alimentos que coleta uma tonelada de dados sobre o que seus usuários comem. O aplicativo de entrega de comida segue os passos da OKCupid criando conteúdo interessante usando seus dados internos. Uma grande parte de sua receita vem de parcerias que eles têm com uma variedade de editores que usam seus dados para criar anúncios que parecem mais naturais.

Em um esforço para expandir suas parcerias para editoras com foco em política, a GrubHub procurou aprender o que eles poderiam sobre como as escolhas alimentares de seus usuários se correlacionavam com suas inclinações políticas. Como resultado, eles enviaram uma pesquisa como parte de uma campanha de criação de perfil que perguntava a seus usuários quais alimentos eles preferiam e conectavam esses usuários a distritos eleitorais nos EUA.

grubhub-data-driven-quiz

Como você pode ver acima, seus resultados foram muito interessantes e, potencialmente, tornaram mais fácil para a empresa traduzir seus dados para garantir novas parcerias com editores políticos. É fácil ver como essa mesma técnica pode ser aplicada a outras indústrias, permitindo que elas expandam sua base de publicidade nativa e aumentem sua receita.

Exemplo # 5: Activia usa dados de autoestima como combustível para suas campanhas 

Em fevereiro de 2017, a Activia, uma empresa de iogurtes probióticos, lançou sua nova campanha de marketing “It Starts Inside”. A campanha foi projetada para estimular conversas em torno de ajudar as mulheres a atingir seu pleno potencial, elevando-se acima de pensamentos prejudiciais e problemas de auto-estima.

Activia-it-starts-inside-campaign

 

A campanha foi baseada em um estudo feito em parceria com uma empresa de pesquisa, a GlobalWebIndex. O estudo revelou que 80% das mulheres nos EUA entre as idades de 25 e 55 se vêem como suas maiores críticas. A campanha de marketing contou com entrevistas com mulheres falando sobre suas experiências e insegurança.

A campanha foi um enorme sucesso para a empresa, falando sobre problemas reais que seus clientes enfrentavam todos os dias. Atrair as emoções dos clientes ajudou-os a criar empatia e a mudar a percepção da empresa para o público-alvo. Esta campanha é a prova de que campanhas apoiadas por dados podem ter um efeito substancial.

Resumo: Marketing e criatividade orientados por dados

Data-driven marketing não mudará seu negócio do dia para noite sozinho. Isso deve ser usado em conjunto com a tecnologia certa e campanhas poderosas e criativas que conectam seus dados a problemas do mundo real que se conectam ao seu público. Os exemplos data-driven marketing deste artigo podem ajudar oferecem algumas ideias para que você possa aproveitar seus dados coletados e utilizá-los para na sua próxima campanha de marketing.

 

Om Ryan Bozeman

Ryan is a professional copywriter and content strategist from Seattle, WA. He spends most of his free time camping, reading sci-fi books, and rooting for the Seahawks.